Desfragmentos

De um coração que já não existe mais.

Ciclos.

     

     Sempre acreditei que a vida seja separada por ciclos, não separada exatamente, mas que tem coisas que acontecem por algum determinado tempo e já vem o tempo certo para o fim. Este tempo em que aparece o fim daquele ciclo pode ser até assustador, só que na verdade muitas vezes ele é surpreendente.
      Nesses últimos dias de 2015 chego ao fim de um ciclo, não o anual em que todos estão esperando, mais sim um que durou 9 anos na minha vida, na verdade 9 anos 6 meses e alguns dias. Vésperas de uma grande mudança começo a olhar as paredes vazias, prateleiras sendo esvaziadas, cada caixa sendo lacrada, me faz pensar em cada momento em que vivi nesse apartamento.
    No inicio foi estranho, como todo inicio de um novo ciclo.
    Como muitos que vieram até aqui e fizeram parte dessa história, cada como o seu jeito diferente me fazendo olhar o mundo do seu mundo. Com todos aprendi algo e levo dentro de mim para sempre.
      Muitos já nem fazem mais parte dessa história, nem se devem lembrar dos momentos vividos aqui dentro. Se fosse parar para descrever cada momento em que vivi aqui passaria dias e dias lembrando de cada detalhe.
        Já são quase 3 horas da madrugada, as caixas estão na minha frente, as lembranças me trazendo risadas de alegria,  prateleiras vazias, todos dormindo, chegando a hora do adeus.

Aqui fica o meu muito obrigada à todos que participaram desse ciclo, levo comigo cada sorriso de vocês comigo. Quem sabe nos encontramos no meio dessa vida doida.




  • Música foi a primeira que ouvi enquanto escrevia.