Desfragmentos

De um coração que já não existe mais.

Uma porcaria qualquer pra uma Trankera!

Era uma vez uma moça que morava na Capital, e ela tinha tudo o que uma moça que morava no Interior queria ter... Essa moça da capital tinha cabelos longos, e uma simpatia que cativava qualquer ser vivo, de qualquer planeta... E cativou a moça do interior... E a moça do interior começou perceber que a moça da capital era especial de verdade, e elas começaram descobrir que o passado as aproximava, como se elas sempre tivessem vivido juntas, como se a capital e o interior fosse mais próximo do que dois cômodos de uma mesma casa. E essa moça da capital proporcionou à moça do interior conhecimento de coisas que ela jamais sonhara em conhecer, sentimentos que ela não imaginava que pudessem acontecer com tanta intensidade, uma relação de confiança e amizade que ela jamais havia conhecido em outros tempos, nem com outras moças, ou moços... E assim, de mansinho, com um jeito todo urbano e particular, a moça da capital conquistou mais que a amizade da moça do interior, ela conquistou a admiração... E hoje, a moça do interior tem total certeza de que um dia, mais cedo ou mais tarde, encontrará sua melhor amiga... A moça da capital.



Texto: Thalita Simoni
Para: Sumara Canzi

Obrigada Thalita (L)